detecção e alarme de incêndio

Um sistema automático de detecção de incêndio (SDAI) é uma instalação técnica capaz de registar um princípio de incêndio, sem a intervenção humana, transmitir as informações correspondentes a uma central de sinalização e comando (central de detecção de incêndio). O sistema de detecção e alarme é constituído pelo conjunto de elementos planejadamente dispostos e adequadamente interligados, que fornece informações de princípios de incêndio, por meio de indicações sonoras e visuais, e controla os dispositivos de segurança e de combate automático instalados na edificação. O sistema também possibilita acionar todos os comandos (imediatos ou temporizados) necessários à segurança contra incêndio dos ocupantes e da edificação onde está instalado, tais como: fechar portas corta fogo, comandar elevadores, comandar sistemas automáticos de extinção de incêndio (supressão), comandar exaustores e ventiladores, interromper energia elétrica, desbloquear retentores, etc.

Convencional

A central de detecção identifica o laço de detecção da área sendo protegida

sistema endereçavel

A central de detecção identifica individualmente o circuito, dispositivos em alarme e a área protegida.

Enderecável inteligente

A central de detecção identifica individualmente o circuito, dispositivos em alarme e a área protegida e possibilita o acesso a ajustes e lógicas de atuação e comando de cada periférico.

detecção pontual de fumaça

O sistema de detecção pontual de fumaça é aquele em que o detector é um só invólucro, e é instalado em um determinado ponto, perfazendo sua área de cobertura conforme norma.

Detecção pontual de temperatura

O sistema de detecção pontual de temperatura é aquele em que o detector é um só invólucro, e é instalado em um determinado ponto, perfazendo sua área de cobertura conforme norma. Sua atuação pode ser no limiar de uma temperatura fixa, ou ainda através de um gradiente de aumento de temperatura, tipo termovelocimétrico.

Detecção Linear Tipo Feixe

São detectores constituídos de um transmissor e um receptor, indicados para a proteção de áreas com teto muito alto, e de grande vão livre, onde não se aplica a instalação de detectores pontuais. Um feixe de luz infravermelha parte do transmissor e chega ao receptor, e se esse no caminho encontrar algum tipo de fumaça, sua recepção será prejudicada, entendendo então como alarme. Podem ser do tipo convencional ou do tipo inteligente.

Detecção por Aspiração de Fumaça

O sistema de detecção por aspiração de fumaça, é um sistema de amostragem de ar de altíssima sensibilidade.

As partículas de fumaça são aspiradas para o detector por um exaustor através de uma rede de tubos, o que possibilita a detecção em áreas amplas, com tetos altos, espaços confinados e em dutos de retorno de ar.

A distribuição da tubulação em toda a área de risco, é dimensionada através de software especificamente desenvolvido para tal cálculo.

Os orifícios de amostragem de ar, são dispostos de forma estratégica ao longo dos condutos, de acordo com um código, de acordo com diretrizes contidas no NFPA-72.

Detecção de Temperatura Linear

É um cabo com capacidade de monitorar uma temperatura pré-estabelecida ao longo de toda a sua extensão, e transferir está situação para o modulo que o supervisiona.

Consiste de dois fios separadamente encapsulados por um material (polímero) sensível ao calor, que atua como um isolante entre os dois fios. São firmemente revestidos por uma fita enrolada de forma a criar uma pressão entre os dois condutores. Finalmente o cabo é revestido com uma capa de PVC que o protege.

Em caso de aumento da temperatura até a faixa de detecção, o material sensível que reveste os fios derrete, permitindo que eles se toquem, provocando um curto-circuito que irá alarmar o sistema.